Esperar por um mundo melhor, ou transformar o mundo que já temos?

Esperar por um mundo melhor, ou transformar o mundo que já temos?

Várias vezes ao longo da história, os homens acharam que o mundo acabaria. O Apocalipse não é exclusividade das religiões judaico-cristãs, muitos outros povos não cristãos temiam e aguardavam o fim do mundo, mesmo aquelas religiões em que o fim não traria salvação. O Ragnarok, por exemplo, é uma guerra de proporções devastadoras, à qual ninguém vai sobreviver.

No fim do mundo da religião judaico-cristã é um momento aguardado, por que representa um momento de redenção suprema. Todos os maus serão punidos, as estruturas do mundo como são hoje desaparecerão, será o fim de toda a mágoa e todo o sofrimento e dor para aqueles que acreditaram e fizeram o bem na terra. A Igreja Católica, em especial, mas não exclusivamente, usou o argumento do apocalipse por séculos como propaganda de governo, para convencer as pessoas de que todo o sofrimento pelo qual elas passavam, e todo o esforço que faziam seria recompensado no outro mundo.

Muitas religiões fazem isso, algumas não por controle, mas por que os devotos tem essa necessidade, ou por uma questão de crença sincera, mas interessante é pensar como, em todos os casos, esse argumento é forte. E aqui não estamos julgando o sugerindo que não haja verdade no que diz uma religião ou outra, então vamos usar um exemplo. Vamos supor que existe uma religião da qual existe comprovação e 100% ser a religião verdadeira e única, e que não podemos contestar com argumentos e nem depender de esperança ou fé. E nessa religião está previsto que haverá um fim para o mundo, tudo o que as pessoas sofreram seria recompensado, todos os maus punidos e o mundo nunca mais seria o mesmo. Mesmo que tivessem provas de que isso aconteceria, as pessoas ainda acreditariam mais por necessidade emocional, do que por lógica ou sentido.

A verdade é que a vida nunca foi boa, as coisas nunca foram aceitáveis no mundo, sempre teve sofrimento e dor, e hoje ainda estão melhores do que nunca, estiveram, mesmo contatando com tudo de ruim que ainda acontece. E nós queremos o fim dessa vida, para ter uma vida normal. Todos nós queremos isso.

Não é uma ideia interessante pensar que todos no mundo querem um mundo melhor, seja você religioso ou ateu, e mesmo assim o mundo ser o que ele é, sendo que o mundo é como é por que nós o construímos dessa forma?

Por que se você olhar a sua volta, você vai ver um mundo que a humanidade esculpiu. Um mundo criado do jeito que nós achamos melhor, e mesmo em tempos em que muitos dos mais poderosos países do mundo são governos democráticos, as coisas não funcionam como nós queríamos. E mesmo que você argumente que as pessoas não tem liberdade de fazerem o que querem, que o governo as controla, o poder não existira se as pessoas não obedecessem, se não protegessem as regras como são. Nenhum país no mundo tem um exército numeroso o suficiente para controlar toda a própria população, todos os exércitos estão em desvantagens numéricas em relação à própria população.

Então, por que o mundo não se parece com aquele folheto da igreja evangélica com uma pintura do paraíso? Não será por que nós defendemos formas de viver que não funcionam? Será que nós protegemos formas de viver injustas, financiamos sem reclamar e apoiamos sem entender como aquilo reflete no mundo?

E se realmente fossemos salvos, e o deus da nossa religião hipotética nos levasse para esse paraíso, por que acreditaríamos que as coisas que acontecem nesse mundo não aconteceriam no paraíso se seriam as mesmas pessoas deste mundo vivendo lá?

E mesmo que isso aconteça no fim das contas, esperar pelo fim desse mundo necessariamente requer que não nos esforcemos para tornar este mundo um lugar melhor para nós? O que é que nos impede, se o mundo hoje é praticamente uma reflexo de nós mesmos?


Nenhum comentário:

Postar um comentário