5 Coisas do presente bem mais antigas do que você pensava

5 Coisas do presente bem mais antigas do que você pensava

Essa é uma lista de curiosidades sobre algumas das coisas que você pensava ou pensa que eram recentes, mas que existem há muito mais tempo do que se imaginava. Segue: 

1. Armas biológicas. No século XVI a colônia de Caffa, em Gênova, sofreu um cerco pelos tártaros (etnia proveniente dos povos mongóis e de natureza turca). Durante esta época, a Peste Negra se espalhava pelo mundo. Ao perceberem o cerco, os genoveses trouxeram para dentro dos muros todos os mantimentos, e decidiram esperar pelo cansaço das tropas do lado de fora dos muros, que planejavam impedir suprimento externo de comida e recursos até a cidade se rendesse. As tropas tártaras começaram então a se infectar com a peste negra, e aos poucos o Khan foi obrigado a abandonar o cerco, mas antes de ir, ele juntou os corpos mortos pela peste, e lançou para dentro da cidade, por cima dos muros, pelas catapultas. Em alguns dias, a cidade teve de abrir as portas, e a população teve de fugir, carregando com ela a peste para novos lugares.

2. Homossexualidade. É um mal do conservadorismo moderno acreditar que o homossexualismo é alguma coisa cultural, que as pessoas inventaram no século XX. Mas muito além de comprovado cientificamente ser um fator biológico, ele foi também reconhecido culturalmente ao longo das mais antigas civilizações, como a dos gregos do Período Clássico. Uma das primeiras histórias contadas pela humanidade, se não a primeira, foi a Epopeia de Guilgamesh, que contava a história de um rei mais forte do que todos os outros do mundo, grande poderoso e destemido. Seu povo sofria tanto em sua mão, que rezou para os deuses, e eles enviaram um inimigo à altura de Guilgamesh, Enkidu que depois dos primeiros conflitos, se torna um amigo próximo e amante do rei.

3. Importação e exportação. A história compreende como Pré-História o período em que os povos não produziam registros históricos, inclusive momentos em que a civilização já existia. É por isso que é tão difícil para os historiadores saberem a real data de criação das cidades e civilizações mais antigas. Só o que imaginamos é que vêm de antes de 3000 a.C. Tudo o que sabemos desses povos vem dos achados arqueológicos, por que a escrita em si era usada apenas para registrar inventários e outras informações administrativas. Mas uma das coisas que sabemos hoje sobre esses povos, é que eles importavam materiais de fora, tal como fazemos hoje. Por exemplo, a maioria deles importava navios de carimbos de cunha, usados para escrever em tábuas de barro com aquele monte de risquinhos que você já viu, que parecem quadradinhos. A primeira forma de escrita da história.

4. Música. Ok, você sabe que a música é velha na história humana, mas quão velha você acha que a música é? Fala aí, 3000 a.C? 8000 a.C. A verdade é que nem os historiadores podem saber. E não é que eles não sabem, eles não tem como saber, por que a História teve origem na música, praticamente. Quando a música foi criada, ela foi criada em forma de poemas cantados em estrofes, como a Ilíada e a Odisseia, são bons exemplos mas relativamente recentes. Em tempos em que a escrita nem existia ainda, a técnica de por os contos em estrofes que rimavam facilitava passar a história de pai para filho, geração após geração, perdendo o mínimo de detalhes possível. Os mitos de criação, as histórias de guerras, todos os registros de memória eram passados dessa forma pelas pessoas. Ou seja, o interesse em registrar o passado veio da música, e a música só foi usada como entretenimento recentemente, quando a história passava a ser registrada de forma escrita. 

5. Padrões de Beleza. Não, o padrão de beleza não foi criado pelo capitalismo para vender produtos para mulheres e homens na sociedade moderna. É para isso que ela é usada hoje, mas ao longo da história, sempre houve uma exigência para como uma mulher deveria ser bela ao longo do da história, por que praticamente em toda a história, ao que parece os homens exibiam suas mulheres como uma espécie de troféu. Só que o padrão de beleza não foi sempre o mesmo, ao contrário do que nos fazem pensar os filmes de Hollywood sobre a antiguidade. Em cada época, o conceito de beleza era diferente, mas em geral, o conceito de beleza das mulheres variou mais. Se você vir as pinturas do século XVII e XVIII vai ver que elas são mais robustas, menos magras do que são hoje. Pois é, agora se a variação depende das condições de vida e cultura de um povo, imagine que mesmo antes da época dos gregos, onde a beleza era um fanatismo e a feiura um pecado imperdoável (como atestou Sócrates na prática), determinados requisitos do corpo feminino precisavam ser atingidos para facilitar a produção mesmo em um nível cultural. Existem esculturas de períodos pré-históricos que representam mulheres obesas com frequência, como símbolo de saúde, em períodos em que a fome era tão frequente e normal.

Espero que tenham gostado. Se quiserem mais, é só curtirem bastante!

Tags :

Nenhum comentário:

Postar um comentário