Regência Verbal

[YOUR ADS HERE]
A regência é definida como a relação que se institui quando um termo principal, regente, tem o seu sentido complementado por outro, regido. A regência verbal, como o próprio nome sugere, ocorre quando o termo regente é um verbo. Cumpre-se evidenciar que a relação de regência também se faz presente entre orações dependentes. Observe:

a) As crianças se encantaram com a decoração de Natal.

Perceba que o verbo “encantar” necessita de complemento, pois quem se encanta, se encanta com alguém ou com algo. Se o termo regido for retirado da frase, o que acontece? Analise: “As crianças se encantaram.”. Soou vago, não? O verbo “encantar” precisa de especificação, uma vez que há inúmeras coisas com as quais as crianças poderiam se encantar. Nesse caso, a complementação foi feita pela preposição “com”.
b) Eles se esqueceram de que os convites precisam ser entregues até a sexta-feira.

Note que a frase acima se compõe de duas orações, a saber:
Oração 1: Eles se esqueceram
Oração 2: os convites precisam ser entregues até a sexta-feira.

Visualize que a oração 1, a principal, tem o seu sentido complementado pela oração 2, que é regida por aquela. Afinal, é preciso especificar do quê eles se esqueceram. Caso contrário, o enunciado torna-se sem sentido. Trata-se de orações dependentes entre si, que são conectadas por intermédio da preposição “de”, exigida pelo verbo [quem se esquece, se esquece de alguém ou de alguma coisa] e pela conjunção subordinativa “que”.

A seguir, serão apresentadas diversificadas situações comunicativas, nas quais a regência verbal costuma suscitar dúvidas, especialmente no tocante à escrita.
-Aquele é o rapaz com quem discuti. (discute-se com alguém).
-Este é o projeto a que o chefe se referiu. (refere-se a algo ou alguém)
-Eu me lembrei da senha. (lembrar a si mesmo de algo)
-A jovem assistiu ao filme ontem. (assistir a = ver/presenciar)
-O dentista assistiu o paciente. (assistir = cuidou/socorreu)
-Rafaela aspira à carreira de modelo. (aspirar a = objetivar/desejar)
-Aqui na capital, aspiramos um ar poluído. (aspirar = respirar)
-A empresa ainda não visou o contrato de prestação de serviço. (visar = assinar)
-Ele visa ao cargo de presidente. (visar a/ao = objetivar/pretender)
-Todos devem obedecer, rigorosamente, às regras do concurso. (obedecer a)
-Prefiro salgado ao doce. (prefere-se uma coisa a outra e, não, uma coisa do que outra).
-Pediu aos convidados que se dirigissem à sala de jantar. (Pedir a alguém que faça algo e, não, para que faça algo.).
-Estes são os meios de que disponho para fazer a divulgação do produto. (dispor de)
k) Esta é a fazenda em que morei durante a minha infância. [morar em algum lugar. Outras opções: na qual morei ou onde (pois se trata de um lugar físico) morei].
-Informe aos estudantes dos locais da prova. (Informar a alguém de algo).
-Avise os formandos da necessidade de chegarem pontualmente. (avisar alguém de algo).
-Aproveitou a (aproveitou-se da) oportunidade para dizer o que pensa. (aproveitar algo ou aproveitar-se de algo)
-Aquele é o homem por quem um dia me apaixonei. (apaixonar-se por)
-Esta é a dupla sertaneja de que tanto gosto. (gostar de)
-O parque a que fomos no ano passado será ampliado. (ir a)
-Este é o hospital a que recorreu no dia em que sofreu a fratura. (recorrer a)

Para concluir: A regência verbal é realizada quando um verbo tem o seu sentido complementado por outro termo (o regido), constituindo um todo significativo. Vale reiterar que a relação de regência é sinalizada entre orações dependentes entre si. Constantemente, surgem dúvidas concernentes à regência verbal. Portanto, estude com muita atenção e pratique sempre!

Referência:


BRASIL. Casa Civil da Presidência da República. Manual de Redação da Presidência da República. – Brasília: Presidência da República, 2002. Disponível em: <www.planalto.gov.br/ccivil_03/manual/manual.htm>.

Nenhum comentário:

Postar um comentário