Dicas para eliminar os Vícios de Linguagem de seus alunos

A maioria dos alunos, se não todos, tem vícios de linguagem, isso é muito comum e normal, mas pode atrapalhar em algumas ocasiões, até mesmo na hora de escrever. Por isso é importante eliminar os vícios de linguagem para que seus alunos não tenham problemas no futuro. Muitos professores não se preocupam muito com isso, eles apenas passam suas matérias e ensinam o que precisam.

Mas é importante ir um pouco além e cuidar de outras questões, se você é professor de português e se preocupa com seus alunos, não deixe de eliminar os vícios de linguagem. Quando começar a falar sobre esse assunto com os alunos é importante mostrar como é errado e até mesmo feio ter vícios de linguagem, muitas pessoas tem gírias, mas isso é comum e não é considerado um vício de linguagem.

Mostre para seus alunos o que é um vício de linguagem, é necessário mostrar que existem vários estilos, por isso vamos tratar desses tipos de vícios de linguagem, para que você tenha um maior embasamento para trabalhar com seus alunos. 

Os vícios de linguagem são alterações defeituosas das normas da língua padrão, podem ser provocado por diversos motivos, como descuido, descaso e até mesmo ignorância, ou seja, falta de conhecimento.

Tipos de vícios de linguagem

- Barbarismo;
- Arcaísmo;
- Neologismo;
- Solecismo;
- Ambiguidade;
- Cacófato;
- Eco;
- Pleonasmo;
Vamos tratar de cada um deles, então não deixe de acompanhar e mostrar aos alunos.

Barbarismo - esse é o desvio da norma como pronúncia, grafia, morfologia e outros. Na grafia, por exemplo, pode ser um erro como escrever proesa em vez de proeza. No caso de morfologia é escrever ou falar cidadões em vez de cidadãos. Ainda existe a semântica, ela também pode ser considerada barbarismo como:
“Ele comprimentou o tio.”, no lugar de cumprimentou.

Arcaísmo - é o emprego de palavras ou estruturas antigas que deixaram de ser usadas. Não é muito comum ouvir alguém falar ou escrever assim, principalmente os jovens, mesmo assim é importante explicar. Algumas pessoas mais velhas ainda usam a expressão: Vossa Mercê e não você, por exemplo.

Neologismo - o neologismo acontece quando existe o emprego de novas palavras que não foram incorporadas pelo idioma.

Solecismo - esse é erro de sintaxe contra as normas de concordância, de regência ou de colocação, como por exemplo:

“Hoje assistiremos o filme.” (em vez de ao filme).

Ambiguidade – é um dos mais conhecidos, acontece quando uma frase causa duplo sentido de interpretação.

Cacófato – refere-se ao som que resulta na união de duas ou mais palavras no interior da frase, como:

“Nunca gasta com o que não é necessário.”

Eco – esse vício de linguagem é a ocorrência de terminações iguais, como:

“Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão.”

Pleonasmo – um vício muito conhecido também, ele é a redundância desnecessária de informação, como por exemplo:

“Está na hora de entrarmos pra dentro.”

Alguns tipos de vícios de linguagem são mais comuns como o pleonasmo e a ambiguidade, mas é interessante mostrar para os alunos todos esses vícios. É claro que como essa forma de falar muitas vezes já está enraizada e não será fácil trabalhar com os alunos e eliminar os vícios de linguagem, mas é possível.

Uma dica legal é colocar todos os alunos para começar a corrigir os erros quando alguém falar, essa é uma dica de atividade legal para evitar o uso de vícios de linguagem. Dessa forma eles vão começar a reparar mais na forma que as pessoas falam, mas é bom avisar que não se deve corrigir qualquer pessoa, mas é possível corrigir os colegas e amigos, irmãos, pais e pessoas que eles têm mais afinidade.

Existem muitas atividades que vão ajudar a corrigir e eliminar os vícios de linguagem, faça uma boa pesquisa e veja o tipo de atividade que pode ser passado, pois tudo vai depender da idade dos alunos também. É possível também passar videoaulas de português sobre vícios de linguagem, é uma forma até bem interessante de introduzir o assunto para os alunos.


Comentários