História: O que é idade da Pedra, Bronze e Ferro

História: O que é idade da Pedra, Bronze e Ferro

Não são só os historiadores que usam os termos Idade da Pedra, Idade Média, Era do Bronze. Você possivelmente já usou algum desses termos para falar sobre algum evento ou mesmo sobre o conteúdo de um filme que assistiu na televisão. Hoje, você vai descobrir de onde vieram alguns desses nomes, e matar essa curiosidade que estava lá no fundo do seu subconsciente, tão fundo que você nem mesmo sabia!

A começar com a Idade da Pedra, como a do Bronze ou do Ferro, tem esse nome por que ela é rotulada pela tecnologia militar da época. Se você acompanhou o texto sobre a pré-história, você se lembra de como foi o desenvolvimento do ser humano conforme aprendia a usar a tecnologia. As lanças de pedra não eram usadas apenas na caça e na pesca. Regiões com recursos eram bem disputadas, e conforme íamos em direção à vida sedentária, os embates tomavam proporções cada vez maiores.

Bom, seguindo a vida, passando os milênios, terminada a revolução neolítica, os homens desenvolvem metalurgia, e dela, a nova tecnologia de batalha: o bronze. Um metal mole, pesado e pouco resistente se considerado com o que veio depois, mas que frente às armaduras de couro e lanças de pedra, era uma monstruosidade da batalha. A forja não era fácil, a estrutura precisava ser grande para produzir armas para um exército, o que facilitava centralizar-se o poder de um rei. Quem poderia competir com quem monopolizava a produção de armas.

Milênios vão, milênios vêm, uma nova tecnologia de guerra é descoberta. O ferro era mais forte, mais resistente, quebrava em vez de amaçar, e era muito, muito mais fácil de se produzir. É claro que as coisas acontecem gradualmente, não é do dia para a noite que se passa a usar uma tecnologia nova, como é hoje, mas com uma nova arma mais forte e mais fácil de produzir do que outras, as mudanças começaram a ocorrer mais rápido do que o natural para aquela época. Reinos nasceram e morreram, civilizações sumiram, salteadores se armavam com mais facilidade, e limitavam comércio entre cidades. O mundo foi transformado pela tecnologia do ferro.

No entanto, temos o hábito de associar a pré-história com a idade da pedra, apenas, e não é necessariamente assim que funciona.

A pré-história é uma época em que o ser humano não produz história, não produz registros que nos possibilitem entender o que realmente aconteceu. É claro que nós entendemos como as coisas eram, por que é muito difícil passar por esse mundo sem deixar rastros que nos ajudem a criar teorias, mas a diferença entre a pré-história e os períodos subsequentes se dá na variedade maior de informações que temos. Praticamente toda a história é perdida por que os meios de registro de informações se desgastaram como o tempo, como tábuas de argila ou papiros, ou por que não existia o hábito de se registrar fatos. Para a maior parte das civilizações antigas, escrever era tarefa de escribas, escravos, que usavam essa técnica apenas para registrar estoques e fazer inventários.

O registro do passado era subjetivo demais, não era foco de atenção. Tudo o que passava ao conhecimento público, questões culturais , crenças religiosas, essas coisas costumavam ser passadas de pai para filho em Tradição Oral. Textos decorados, até ditados populares.

Mesmo os textos religiosos e mitológicos que temos dessas épocas, como a Ilíada, a Epopeia de Guilgamesh, Odisseia eram poemas, decorados como música, para que os detalhes não se perdessem com o tempo.

Inclusive, eu não sei se você se deu conta, mas a cultura de criar músicas também nasceu assim.

Tudo o que sabemos dessas culturas foi o que depois de milênios, onde a escrita já havia sido desenvolvida para estes fins, decidiu-se por ser transcrito para registros reais e bibliotecas, e que por sorte foram feitos em materiais que em alguns casos chegam aos dias de hoje em forma legíveis. É o caso de tábuas de argila, que geralmente se desgastam em pouco tempo, e nenhuma chegou intacta aos dias de hoje, mas os poucos que sabemos sobe os gregos da era do Bronze, está registrado em tábuas que acidentalmente passaram por algum incêndio, e foram cozidas até se tornarem cerâmica, muito mais resistentes ao tempo.

A pré-história não terminou ao mesmo tempo no mundo todo, e como vamos ver no próximo capítulo, ela ainda nos revisitou por algumas vezes.

Tags :

Nenhum comentário:

Postar um comentário