Gustave Flaubert

Gustave Flaubert (1821-1880) foi escritor francês. Escreveu o romance "Madame Bovary" que o levou aos tribunais. Foi acusado de ofensa a moral e a religião. Foi absolvido pela Sexta Corte Correcional do Tribunal do Sena e condenado pelos puritanos, pelo tema adultério, pela crítica ao clero e à burguesia. É um dos representantes mais importantes do realismo francês.


Nasceu em Ruão, Normandia, França, no dia 21 de dezembro de 1821. Filho do médico cirurgião Achille-Cléophas Flaubert e Justine Caroline Fleuriot. Em 1832, entra para o Colégio Real. Distraído e desinteressado não gostava de estudar, preferia devorar romances. Redige o semanário escolar "Arte e Progresso". Aos 15 anos é atraído pelas peças de Shakespeare, Dumas e Vitor Hugo.

Adolescente se apaixona por Elisa Schlesinger, mulher casada e onze anos mais velha que ele. Entre 1837 e 1845 escreve o drama "Luís XI" e as novelas "Fantasia de Inferno", "Paixão e Virtude". O amor impossível inspirou-lhe os livros "Memórias de um Louco", "Novembro" e "Educação Sentimental".

Gustave Flaubert estuda Direito em Paris, para satisfazer a vontade do pai. Em 1844, após o fracasso nos exames, sofre o primeiro de seus ataques epiléticos. Abandona o curso e vai morar com a família na nova propriedade em Croisset, à margem do Sena, próximo de Ruão. Em 1846, morre seu pai e sua irmã Caroline. Conhece Louise Collet, separada do marido e mãe de uma jovem de 16 anos. Vivem uma aventura amorosa.

Em 1848, rompe o romance com Louise. Nesse mesmo ano morre seu amigo de infância Alfred Le Poittevin. Sua saúde se abala. Obedece ao conselho médico e vai para o Oriente, onde pretendia ficar dois ou três anos. Mas, no fim de alguns meses decide voltar para Croisset.

Em 1851, após longo período sem produzir, inicia "Madame Bovary", a mais famosa de suas obras, foram cinco anos de trabalho incessante. Escrevia e reescrevia a mesma página dezenas de vezes. Em 1856, o romance começa a ser publicado na Revue de Paris, com alguns cortes, em vista da austeridade dos costumes da época.

O livro conta a história de Emma Bovary, que se entrega a sucessivos casos de adultério para fugir da vida medíocre que julga levar ao lado do marido, um médico de província. O romance, que termina com o suicídio de Bovary, causa escândalo na França. Flaubert é acusado de imoralidade e processado.

Em janeiro de 1857, senta-se no banco dos réus ao lado de Laurente Pichat, o editor da revista. Oito dias depois o autor é absolvido e o livro, publicado em edição completa se esgota rapidamente. Gustave Flaubert morre no dia 8 de maio de 1880

Obras:



Rêve d'enfer (“Paixão e Virtude”) 1837
Mémoires d'un fou (“Memórias de um Louco”) 1838
Novembre (“Novembro”) 1842
Madame Bovary (“Madame Bovary”) 1857
Salammbô (“Salambô”) 1862
L'Éducation Sentimentale (A Educação Sentimental) 1869
Lettres à la municipalité de Rouen, 1872
Le Candidat (peça), 1874
La Tentation de Saint Antoine (“A Tentação de Santo Antônio”) 1874
Trois Contes (“Três Contos”) (Un cœur simple (“Um Coração Simples”), La Légende de Saint Julien l'Hospitalier e Hérodias), 1877
Le Château des cœurs (teatro), 1880
Bouvard et Pécuchet (inacabado), 1881
À bord de la Cange, 1904
Par les champs et les grèves, 1910
Œuvres de jeunesse inédites, 1910
Dictionnaire des idées reçues, 1913
Lettres inédites à Tourgueneff, 1947
Lettres inédites à Raoul Duval, 1950



Nenhum comentário:

Postar um comentário