Análise Sintática a Chamada Sintaxe

Análise Sintática a Chamada Sintaxe

Esse era a minha matéria predileta na faculdade.
Entende-se “Sintaxe” como a ciência da língua que estuda o processo de construção das sentenças. Nessa perspectiva, realizar a análise sintática significa identificar a função que cada elemento exerce no contexto da sentença, bem como a relação que ele estabelece com os demais constituintes, de modo a se formar um todo organizado e harmônico. 

Os sujeitos se dividem em:


Simples 


Compõe-se de apenas um núcleo (palavra principal): "Aquele rapaz é craque em Matemática."

Composto 


Compõe-se de mais de um núcleo: "A dor e a angústia o torturavam rotineiramente."

Oculto


Identificável pelo contexto ou pela desinência verbal: "Encantei-me com aquele romance." (A desinência evidenciada refere-se a “eu”).

Sujeito Indeterminado


Que não se identifica: "Fizeram uma pichação no muro da casa da vizinha."

Os predicados se segmentam em:

Predicado nominal - contém uma característica atribuída ao sujeito, por intermédio de um verbo de ligação:

"Gabriel ficou perturbado com a notícia."

Predicado verbal - apresenta como núcleo um verbo significativo, aquele que acrescenta uma ideia ao sujeito:

"Ele comprou um lote."

Predicado verbo-nominal - une as especificações de ambos:

"Lúcia ficou felicíssima quando alugou o apartamento."

Para encerrar: O sujeito é o ser a respeito do qual se diz algo, ao passo que o predicado designa a declaração feita sobre o sujeito. Vale reiterar que se trata de termos essenciais à oração. Portanto, é fundamental conhecer o funcionamento deles, com vistas ao aprimoramento da leitura e da escrita.

Referências:


BASÍLIO, Margarida. Formação e classe de palavras no português do Brasil. São Paulo: Contexto, 2004.

CUNHA, Celso; CINTRA, Luís F. Lindley. A oração e os seus termos essenciais – Sujeito e Predicado. In: ___ Nova gramática do português contemporâneo. 5.ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2008, p. 136-152.


Nenhum comentário:

Postar um comentário