Rimas: pobre, rica, rara, externa, interna, consoante, toante (ou assoante)

Rimas: pobre, rica, rara, externa, interna, consoante, toante (ou assoante)

Para quem escreve poesias ou para quem pretende escrever, é imprescindível que saiba identificar e usar tipos de rimas. Conheça aqui alguns tipo...

1 - Rima pobre: quando as palavras rimadas são da mesma categoria gramatical (substantivo/substantivo; adjetivo/adjetivo).


Ex.:

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

(Vinícius de Moraes)

Nos versos acima, as palavras “pranto/espanto” e “bruma/espuma” são substantivos.

2 - Rima rica: quando as palavras rimadas são de categorias gramaticais diferentes (substantivo/adjetivo; verbo/substantivo).


Ex.:

Mas que na forma se disfarce o emprego
Do esforço: e trama viva se construa
De tal modo, que a imagem fique nua
Rica mas sóbria, como um templo grego.

(Olavo Bilac)

Nos versos acima, temos: “emprego/grego” (substantivo/adjetivo) e “construa/nua” (verbo/adjetivo).

3 - Rima rara: é aquela que possui sonância rara, independente da categoria gramatical das palavras (edifícios/orifícios; cisne/tisne; profícuo/conspícuo; bronco/tronco; distingo-a/língua).


Ex.:

Um dia surgiu, brilhante,
Entre as nuvens, flutuante,
Um enorme Zepelim.
Pairou sobre os edifícios,
Abriu dois mil orifícios,
Com dois mil canhões assim.

(Geni e o Zepelim – Chico Buarque)

Ex.:

A alma dos animais! Pego-a, distingo-a,
Acho-a nesse interior duelo secreto
Entre a ânsia de um vocábulo completo
E uma expressão que não chegou à língua.

(Augusto dos Anjos)

4 - Rima externa: acontece no final do verso.


Ex.:

Não tem faltado bocas de serpentes,
(Dessas que amam falar de todo o mundo,
E a todo o mundo ferem, maldizentes)
Que digam: “Mata o teu amor profundo!”

5 - Rima interna: acontece dentro do verso.


Ex.:

Outubro
No fim da alameda
há raios e papagaios
de papel de seda.

(Guilherme de Almeida)(Olavo Bilac)

6 - Rima consoante: apresenta igualdade sonora desde a última vogal tônica do verso.


Ex.:

Eu, filho do carbono e do amoníaco,
Monstro de escuridão e rutilância,
Sofro, desde a epigênese da infância,
A influência má dos signos do zodíaco.

(Augusto dos Anjos)

7 - Rima toante (ou assoante): apresenta igualdade sonora apenas entre as vogais, a partir da última vogal tônica até o final do verso.


Ex.:

Leito de pedra abaixo
rio menino eu saltava
saltei até encontrar
as terras fêmeas da Mata.

(João Cabral de Melo Neto)


Nenhum comentário:

Postar um comentário