O Livro de Daniel Cap. 8

[YOUR ADS HERE]

Livro de Daniel 8

A Visão de Daniel sobre um Carneiro e um Bode

1 No ano terceiro do reinado do rei Belsazar apareceu-me uma visão, a mim, Daniel, depois daquela que me apareceu no princípio.
2 E vi na visão; e sucedeu que, quando vi, eu estava na cidadela de Susã, na província de Elão; vi, pois, na visão, que eu estava junto ao rio Ulai.

8:1-2 Esta visão aconteceu no terceiro ano de Belsazar, o que faz com que tanto este como o sonho registrado em Daniel 7 tenham ocorrido antes dos acontecimentos de Daniel 5. Na visão Daniel encontrou-se em Susã, junto ao rio Ulai, em Elão, a leste da Babilônia.



3 E levantei os meus olhos, e vi, e eis que um carneiro estava diante do rio, o qual tinha dois chifres; e os dois chifres eram altos, mas um era mais alto do que o outro; e o mais alto subiu por último.
4 Vi que o carneiro dava marradas para o ocidente, e para o norte e para o sul; e nenhum dos animais lhe podia resistir; nem havia quem pudesse livrar-se da sua mão; e ele fazia conforme a sua vontade, e se engrandecia.


8:3-4 Junto ao rio estava um carneiro de dois chifres, um chifre mais alto do que o outro. Este carneiro avançava em todas as direções e ninguém podia dominá-lo, por isso ele se tornou grande. Os chifres deste carneiro são identificados em 8:20 como os reis da Média e da Pérsia.


5 E, estando eu considerando, eis que um bode vinha do ocidente sobre toda a terra, mas sem tocar no chão; e aquele bode tinha um chifre insigne entre os olhos.
6 E dirigiu-se ao carneiro que tinha os dois chifres, ao qual eu tinha visto em pé diante do rio, e correu contra ele no ímpeto da sua força.


8:5-6 Então Daniel viu chegando do oeste um bode com um notável chifre entre os olhos. Este bode correu contra o carneiro com a força de fúria. Este bode é identificado em 8:21 como o rei da Grécia, e o grande chifre como o primeiro rei, que seria Alexandre, o Grande.


7 E vi-o chegar perto do carneiro, enfurecido contra ele, e ferindo-o quebrou-lhe os dois chifres, pois não havia força no carneiro para lhe resistir, e o bode o lançou por terra, e o pisou aos pés; não houve quem pudesse livrar o carneiro da sua mão.
8 E o bode se engrandeceu sobremaneira; mas, estando na sua maior força, aquele grande chifre foi quebrado; e no seu lugar subiram outros quatro também insignes, para os quatro ventos do céu.


8:7-8 O bode quebrou os dois chifres do carneiro e atirou-o no chão. Ele então se engrandeceu, mas enquanto ele era forte, o chifre grande foi quebrado e, em seu lugar, nasceram quatro chifres. Alexandre morreu quando tinha apenas 33 anos. A partir de seu império desenvolveram-se:

 1. Ptolomeu (Egito); 2. Seleuco I (Síria); 3. Antipater (Macedônia); 4. Lisimaco (Trácia e Ásia Menor).


9 E de um deles saiu um chifre muito pequeno, o qual cresceu muito para o sul, e para o oriente, e para a terra formosa.
10 E se engrandeceu até contra o exército do céu; e a alguns do exército, e das estrelas, lançou por terra, e os pisou.


8:9-10 Um chifre menor nasceu de um dos quatro chifres e se tornou excessivamente grande, descrito mesmo como lançando algumas das estrelas por terra.


11 E se engrandeceu até contra o príncipe do exército; e por ele foi tirado o sacrifício contínuo, e o lugar do seu santuário foi lançado por terra.
12 E um exército foi dado contra o sacrifício contínuo, por causa da transgressão; e lançou a verdade por terra, e o fez, e prosperou.


8:11-12 Ele se engrandeceu a ponto de afastar os sacrifícios e derrubar o santuário; até mesmo a verdade ele a deitou por terra.  


13 Depois ouvi um santo que falava; e disse outro santo àquele que falava: Até quando durará a visão do sacrifício contínuo, e da transgressão assoladora, para que sejam entregues o santuário e o exército, a fim de serem pisados?
14 E ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado.


8:13-14 Quando Daniel ouviu um santo perguntar a outro quanto tempo a transgressão de desolação duraria, a resposta dada foi 2.300 dias.


15 E aconteceu que, havendo eu, Daniel, tido a visão, procurei o significado, e eis que se apresen- tou diante de mim como que uma semelhança de homem.
16 E ouvi uma voz de homem entre as margens do Ulai, a qual gritou, e disse: Gabriel, dá a entender a este a visão.


8:15-16 Quando Daniel procurou o significado, Gabriel recebeu ordem para fazê-lo entender.


17 E veio perto de onde eu estava; e, vindo ele, me amedrontei, e caí sobre o meu rosto; mas ele me disse: Entende, filho do homem, porque esta visão acontecerá no fim do tempo.
18 E, estando ele falando comigo, caí adormecido com o rosto em terra; ele, porém, me tocou, e me fez estar em pé.
19 E disse: Eis que te farei saber o que há de acontecer no último tempo da ira; pois isso pertence ao tempo determinado do fim.


8:17-19 Foi-lhe dito que a visão se referia ao “tempo do fim”. Ele saberia o que aconteceria “no ultimo tempo da ira”. De acordo com a interpretação especial que se segue, esta visão falava de coisas que aconteceriam depois do cativeiro babilônio.


20 Aquele carneiro que viste com dois chifres são os reis da Média e da Pérsia,
21 Mas o bode peludo é o rei da Grécia; e o grande chifre que tinha entre os olhos é o primeiro rei;

8:20-21 Ele explica especialmente que os dois chifres do carneiro representavam o poder do império medo-persa, e que o bode era a Grécia, cujo grande chifre era o primeiro rei, que foi Alexandre, o Grande.


22 O ter sido quebrado, levantando-se quatro em lugar dele, significa que quatro reinos se levantarão da mesma nação, mas não com a força dele.
23 Mas, no fim do seu reinado, quando acabarem os prevaricadores, se levantará um rei, feroz de semblante, e será entendido em adivinhações.


8:22-23 Quatro reinos se levantaram deste império, depois que Alexandre foi derrubado. Mas no final deles, um rei de aparência feroz se levantará.

Muitos acreditam que isto seja uma descrição de Antíoco Epifânio, que governou a Síria entre 175-163 a.C. Em seu esforço para consolidar seu reino pela imposição da cultura e divindades gregas aos seus súditos, ele viu a religião hebraica como um forte adversário de seu domínio sobre a Palestina. Quando ele conquistou Jerusalém, colocou uma imagem no templo, ofereceu carne suína no altar, e encorajou os soldados gregos a cometerem fornicação dentro do próprio templo. Ele proibiu os judeus de circuncidarem seus filhos, de guardar o sábado e até mesmo de possuir uma cópia das Escrituras.

Os 2.300 dias (8:14) podem ser um período literal, que seria um pouco mais do que seis anos e corresponderia à extensão real deste período de abominação (171 - 165 a.C.).


24 E se fortalecerá o seu poder, mas não pela sua própria força; e destruirá maravilhosamente, e prosperará, e fará o que lhe aprouver; e destruirá os poderosos e o povo santo.
25 E pelo seu entendimento também fará prosperar o engano na sua mão; e no seu coração se engrandecerá, e destruirá a muitos que vivem em segurança; e se levantará contra o Príncipe dos príncipes, mas sem mão será quebrado.


8:24-25 Ele é poderoso, destruiria “os poderosos e o povo santo”. Ele até enfrentaria o Príncipe dos príncipes.


26 E a visão da tarde e da manhã que foi falada, é verdadeira. Tu, porém, cerra a visão, porque se refere a dias muito distantes.
27 E eu, Daniel, enfraqueci, e estive enfermo alguns dias; então levantei-me e tratei do negócio do rei. E espantei-me acerca da visão, e não havia quem a entendesse.


8:26-27 A Daniel foi dito que a visão se cumpriria em dias ainda muito distantes, mas isso deixou-o doente enquanto pensava nela.

PERGUNTAS:

01. Quando esta visão apareceu a Daniel? 
8.1 No ano terceiro do reinado do rei Belsazar

02. Onde Daniel estava quando ele teve esta visão? 
8.2 E vi na visão; e sucedeu que, quando vi, eu estava na cidadela de Susã, na província de Elão

03. Qual era o poder do carneiro diante dos outros animais? 
8.3-4 Tinha um chifre mais alto do que o outro. Avançava em todas as direções e ninguém podia dominá-lo, por isso ele se tornou grande. 

04. O que veio e quebrou os dois chifres do carneiro? 
8.5-6 Um bode que vinha do ocidente. 

05. O que aconteceu quando o chifre grande do bode foi quebrado? 
8.7-8 Nasceram outros quatros chifres. 

06. O que foi que o chifre menor tirou e jogou fora? 
8.9-10 Uma das estrelas do céu e as pisou. 

07. Durante quanto tempo o santuário e o exército seriam pisoteados? 
8.13-14 Até 2300 anos.

08. Gabriel contou a Daniel que esta visão se aplicava a qual tempo? 
8.19 Eis que te farei saber o que há de acontecer no último tempo da ira; pois isso pertence ao tempo determinado do fim.

09. O que os dois chifres do carneiro representavam? O que o bode peludo representava? 
8.20-21 Aquele carneiro que viste com dois chifres são os reis da Média e da Pérsia, Mas o bode peludo é o rei da Grécia; e o grande chifre que tinha entre os olhos é o primeiro rei;

10. Quando se levantaria o rei de aparência feroz? 
8.23 No fim do seu reinado, quando acabarem os prevaricadores.

Tags :

Nenhum comentário:

Postar um comentário