O Livro de Daniel Cap. 1

[YOUR ADS HERE]
Na escola dominical da igreja presbiteriana de Jd. Campos, a qual eu frequento e sou professor dos jovens, estamos estudando o livro de Daniel. Com ajuda dos comentários e estudos de Robert Harkrider, conseguimos compreender melhor e confirmar o que a luz das escrituras nos diz. Esse é o primeiro capítulo da série.

Tema do Livro de Daniel: “O Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens” (Daniel 2:21; 4:17,25,32,34-35; 5:21). O livro trata do conflito entre o reino de Deus e os reinos do mundo. Naturalmente, por trás disto está o conflito entre Deus e as divindades pagãs. Deus prometeu estabelecer seu próprio reino e defender a causa de seus santos que o serviam naquele reino (Daniel 2:44;7:27). A verdade desta profecia é comprovada pelo fato que Deus é ainda conhecido em todo o mundo, mas todas as divindades pagãs dos dias de Daniel foram esquecidas.

1.1 O começo do cativeiro de Daniel

1:2 Antes da invasão de Jerusalém, Nabucodonosor tinha derrotado o Egito em Carquêmis, o que provou claramente que a Babilônia era o poder dominante (Jeremias 46:2). Ele perseguiu os egípcios até o sul de Jerusalém onde ele soube da morte de seu pai. Então retornou à Babilônia para assumir o trono, mas levou consigo alguns cativos judeus e tesouros do templo para a terra de Sinar, que é a área da Babilônia também conhecida como Caldéia.

Nabucodonosor não teria sucesso se não fosse permitido por Deus (cf. Jeremias 27:5-8)

Não nos é dito quantos cativos foram levados desta vez; somente que Daniel, Hananias, Misael e Azarias estavam entre eles. Lembramos esta data (605 a.C.) como o começo do cativeiro de Judá. Nabucodonosor veio contra Jerusalém mais duas vezes (597 a.C. e 586 a.C.).

1:3-4 Sabemos que Daniel e seus amigos eram jovens, porém suas idades são incertas. Ele era um jovem de estatura elegante e inteligente, e agora é selecionado para um papel honroso no reino de Nabucodonosor. Estas vantagens tentariam a maioria dos jovens a serem orgulhosos e arrogantes, mas Daniel nunca esqueceu que seu primeiro dever era ser um servo de Deus!

1:5 O rei favoreceu estes jovens com alimento de sua própria mesa. Durante três anos eles deveriam receber provisões reais e educação, de modo que pudessem ser preparados para servir no governo de Nabucodonosor

1:6-7 Daniel e seus amigos recebem novos nomes, provavelmente estavam sendo inferidos a esquecer suas origens judaicas.

Daniel (“Deus é meu juiz”) - Beltessazar (“um servo de Bel”)

Hananias (“o Senhor é bondoso”) - Sadraque (“inspirado pelo deus sol”)
Misael (“quem é o que Deus é”) - Mesaque (“quem é o que o deus lua é”)
Azarias (“o Senhor ajuda”) - Abednego (“servo de Nebo”)

1:8 (veja 1 Coríntios 10:28). Não nos é dito por que isto “contaminaria” Daniel. Qualquer que fosse a razão que a faziam errada, “resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se”.

1:9-10 Aspenaz, o chefe dos eunucos, gostou de Daniel. Mas sua própria vida correria perigo se fosse descoberto que ele não tinha executado as ordens do rei. Ele argumentou que, se eles não comessem a comida do rei e não bebessem o vinho do rei, sua aparência logo mostraria a diferença, e ele então seria condenado à morte.

1:11-13 Daniel pediu ao eunuco especialmente encarregado dele e de seus três companheiros hebreus, que lhes desse um período de experiência de dez dias. Ele persuadiu-o a dar-lhes legumes para comer e água para beber.

1:14-16 No fim deste período experimental, o eunuco encarregado descobriu que eles pareciam melhores e mais cheios de carne do que todos os outros que tinham comido a comida do rei. Portanto lhes foi concedido seu pedido de legumes e água durante todo o período de treinamento.

1:17 O sucesso destes quatro jovens hebreus foi o resultado da bênção especial do Senhor. Deus lhes deu destreza em todo o conhecimento e sabedoria. A Daniel foi dada a capacidade de entender o significado dos sonhos e visões.

1:18-19 Eles foram levados diante do rei para serem examinados, depois de completados seus três anos de preparação. Daniel e seus três companheiros hebreus ultrapassaram todos os outros.

1:20-21 Eles eram “dez vezes” melhores (um esplêndido grau) do que todos os outros sábios do rei. Foram indicados para a equipe permanente de conselheiros. Daniel continuou ainda “até ao primeiro ano do rei Ciro”, o que mostra que sobreviveu em um novo império. Realmente, Daniel 10:1 afirma que ele recebeu uma visão no terceiro ano de Ciro; assim, isto não pretende dizer-nos quando ele morreu ou parou de profetizar, mas que seu trabalho abrangeu todo o período babilônio.


Que Deus abençoem todos vocês!


Tags :

Nenhum comentário:

Postar um comentário